Curte aí...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Perdida

Eu nunca me senti desse jeito. Nada está bom, e nem sei o que fazer para tornar as coisas um pouco melhores. Será que se eu fugir eu vou conseguir me livrar desses pensamentos estranhos? Ou será que eles me acompanharão pra onde quer que eu vá? Será que se eu me fechar eu vou conseguir olhar pra dentro de mim e descobrir o que está acontecendo? Ou será que se eu me abrir para o mundo eu vou acabar encontrando as respostas com o tempo?

Estou em crise... Com tudo. Com a família, com os amigos, com o teatro, com o namorado, com a cidade, com... COMIGO. Eu não estou bem mesmo, e tudo em volta se torna cinza do mesmo jeito. Não sei o que fazer, não sei o que fazer, não sei o que fazer, não sei o que fazer, não sei o que, não sei o que, não sei o que, não sei o, não sei o, não sei o, não sei, não sei, não sei, não, não, não...

Empurrando os dias, as horas, os minutos e os segundos. Vivendo pelo simples fato de viver, sem nenhum objetivo, sem nenhuma esperança. Vivendo um dia de cada vez, sofrendo a cada dia, e sem saber o que fazer. Parada e perdida no meio de tudo.


E sozinha. Disso eu tenho a mais plena certeza.

3 comentários:

Protzner, Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Protzner, Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Protzner, Rafael disse...

"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez'..."

(Metâmeros)
Caio Fernando Abreu

Vc não está tão sozinha, ou perdida assim.