Curte aí...

sábado, 14 de março de 2009

So.

Estou sentada na frente desse computador mais uma vez. A vida de Internet é uma vida que nunca me interessou, mas que ultimamente tem sido a minha vida. Eu passo os meus dias sentada aqui, horas no Orkut e mais infinitas horas no MSN. Não leio nada de interessante, só entro em sites inúteis, e quando não me resta nada eu coloco uma música e continuo aqui na frente. Parada, olhando pra tela cheia de coisas. Vazia.

Hoje é sábado, 23:40h, não tem ninguém online no MSN. Claro. "Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite, sábado à noite tudo pode mudar..." Bem. Eu não esperava nada do meu sábado à noite. A ideia era tentar dormir cedo, mas até parece. Taí uma coisa que eu nunca consegui. Ainda mais com a cabeça fervilhando de minhocas.

Tô aqui refletindo. Já tem um tempo que eu ando fritando nessas ideias, mas hoje isso me incomodou de uma maneira absurda. Eu sou uma pessoa sozinha. Pra ter uma ideia de como isso tudo começa, eu nem estaria desabafando nessa porcaria de blog se eu tivesse alguém pra conversar. Do jeito que a coisa anda, (sei que tem gente querendo me derrubar), um texto deprê nesse estilo vai fazer muita gente pular de alegria. Eu jamais daria esse gostinho pra gente mais desocupada do que eu. Mas hoje tá mais difícil de controlar, mesmo que as pessoas que me querem mal adorem, elas vão ler o que querem. Parabéns, idiotas, venceram a batalha. Mas não a guerra, deixo bem claro desde já.
Continuando... Eu sou uma pessoa sozinha. Não tenho mais namorado. As pessoas que eu achava que eram minhas amigas durante anos da minha existência, evaporaram. Evaporaram pra mim, apenas. Pra elas mesmas, e pra outras pessoas elas existem. São as mesmas: companheiras, amigas, alegres e... superficiais de sempre.
Os rapazes. Bem, os rapazes são legais, sempre me divirto conversando com os rapazes. Mas... Por que eles conversam comigo? Será que o meu papo é realmente tão interessante? Mais interessante até do que o meu sorriso, do que o meu cabelo, do que o meu par de coxas? Meiguinha demais, abobada demais, deslumbrada demais, presa fácil demais. Idiota demais.
A família. Ah. Essa eu acho que nem preciso comentar. Aqui é cada um por si e Deus? Bem... Está lá em cima. Minha irmã até tenta me ajudar, conversar comigo. Mas são cinco minutos tão rápidos, tão... Tão... Tão... Vazios. Não conseguem me preencher como eu queria. Vazia.

Eu sou uma pessoa sozinha. Hoje me sinto muito sozinha.

"Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite..." Tá bom, confesso que eu esperava alguma coisa hoje. Um telefonema, um e-mail, uma mensagem, algo que me confortasse. Ou que pelo menos tentasse. Ou que pelo menos chegasse perto disso.

Ah é. E pra embalar a noite de sábado à noite... Vamos de Sigur Rós em... VAKA. Úh trem.

you sigh low tonight
you're so alone
you're so
you sigh low tonight
you're so alone
you're so
you're so low
you're so alone
you're so
you sigh low
you sigh low
you're so
(you're so)
you sigh low tonight
you're so alone
you're so
you sigh alot and fight
you're so lost
you're so
you fight so low
you're so alone
you sigh low
your sighs are low
you're so


4 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Sofremos do mesmo mal, solidão. Estou só mesmo quando eu no meio de uma multidão ou cercado de amigos, ou família. Tenho a impressão que sou extremamente incompreendido. Um vazio que só eu conheço. Espero você para uma prosa entre dois doentes desse mal. Obrigado por me adicionar no MSN. Assim, quem sabe, poderíamos falar de dor & amor.
Beijos,

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

Parece que enquanto eu estiver esperando você no MSN para conversar, você nunca vai aparecer...
"As coisas acontecem quando a gente menos espera, vai acostumando." Palavras da minha irmã. E não é que ela tem razão?
Abraço forte,

Gus

nino sechi disse...

Você prediu
Pra que eu fizesse
Um poema
Pra você

Como é que eu vou saber
O que você quer me dizer?
Eu quero que você me conte

Assim como eu
Vou lhe contar
Que já não há piscina
Agora é mar
E que eu subi
Poucos degraus
E lá de cima
Do terceiro andar

Olhei pro asfalto
E não me joguei
Subi mais alto
E te encontrei




as vezes nos sentimos sozinhos que queremos ter alguem ao nosso lado e as vezes tem varias pessoas ao nosso lado e tudo que queremos e estar sozinho,a pior solidão é aquela qual vc naum esta por perto
use este momento pra se conhecer
pois se conhecendo terá o pode de escolher quais a suas companhias

Quando se sentir sozinha não se jogue ao asfalto suba mais um andar

Paula Brandão disse...

Li o texto e fiquei pensando na parte da família....não cheguei a nenhuma conclusão....hehe beijos....e milagre que vc não me viu online, isso porque eu resolvi deitar e ler meu livro...senão íamos ser nós duas porque essa coisa de amigos tá me encasquetando viu....