Curte aí...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Cult Cult (Destinado a pessoas cults cults que gostam de arte e cultura de qualidade)

Oi gente! Esse final de semana foi muito especial pra mim. Como eu disse, andei um bom tempo sumida de tudo (até de mim) e desde ontem as coisas foram mudando e tomando formas que eu não esperava. Começou com a minha primeira aula no curso de improvisação (post especial a seguir), passando pela minha ida sozinha à peça Avenida Q (post anterior) e hoje, que fui assistir ao espetáculo Flicts, em cartaz no Teatro Dom Silvério. Deixo claro que não estou puxando saco porque tenho amigos no elenco, mas adorei o espetáculo.

Comecei gostando desde que entrei no elevador com duas menininhas lindas que mal sabiam falar o nome da peça, impressionante como criança é impressionante, né... Ficar observando já é um espetáculo por si só. E depois, a peça. Energia no talo, expressão corporal muito legal, tudo muito coreografado. Cores, sons, expressões, ritmo. Tudo muito cuidadinho. Momentos de euforia, momentos de pausa. Bolhas de sabão. Nada mais poético e mais lindo do que bolhinhas de sabão. Poética também é a história, de ninguém mais ninguém menos que Ziraldo.

"Apesar da palavra cor ser feminina, Flicts é masculino. O triste, feio e aflito Flicts percorre um caminho para encontrar-se, ter um lugar para viver e por onde passa ele é rejeitado.
O livro começa “Era uma vez uma cor muito rara e muito triste que se chamava Flicts”. Possui características próprias, diferentes de todas as outras cores. Sua solidão era intensa, não era aceito por nenhuma outra cor. Cada cor tem sua interpretação, o vermelho é forte, o amarelo tem uma luz imensa, e o azul transmite paz.” "Não existe no mundo nada que seja Flicts”. "Não tinha lugar no mundo para Flicts, nem na caixa de lápis de cor, nem no parque e nem no arco-íris. Rejeitado por todas as cores.” "Era apenas o frágil e feio e aflito Flicts.” Ele tenta a salvação no trabalho, uma faixa em alguma bandeira, percorre o mundo todo, “pelos paises mais bonitos, pelas terras mais distantes, pelas terras mais antigas, pelos países mais jovens” e não se acha." (Fonte: Site Shvoong)

Um dia Flicts sobe para bem alto e vai subindo, subindo e encontra-se na Lua. A LUA É FLICTS!

E nem preciso dizer, quem me conhece sabe... Falou de lua, me ganhou.

Depois, na saída, vem a parte mais delícia. Estava conversando com o Leo, o "Flicts", e uma menininha linda pergunta pra ele, "por que vocês falaram flicts e não bege?" E com essa inocência na cabeça eu deixei o teatro, e tive ainda mais a certeza de que meu negócio é com criança, e ai que vontade de montar um espetáculo infantil! =)


Ass: Bella Marcatti.

2 comentários:

Leo22decastro disse...

A LUA É FLICTS!
Espetáculo infantil pra todas as idades! Assisti ano passado, levei 8 crianças, as carinhas de encanto e admiração não tem preço!
Vc tem todo o jeito pra trabalhar com crianças. Quem sabe isso não fara parte de seu futuro?
To adorando seus post's sobre as atrações culturais, aguardo ansiosamente os proximos rss!!!

Bella Marcatti disse...

Eu tbm acho que crianças são a minha sina de alguma forma. Sempre fujo delas mas acaba sendo o que sempre aparece pra eu fazer. Desde os 13 anos trabalho com criança, e nunca foi diferente. Um espetáculo infantil acho que é meu plano agora! Quem sabe?

Beijo e obrigada por visitar o blog...!!