Curte aí...

sábado, 24 de abril de 2010

Nada cult (Porque eu tenho que falar quando a coisa é ruim tb)

Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite? Acho que sim. Eu, na falta de uma esperança, pensei em ir até o Galpão Cine Horto para assistir ao espetáculo "O Realejo", do grupo Bagaceira de Teatro, dentro da programação do Festival de Teatro Brasileiro. Postei essa ideia no Twitter e muito prontamente meu amigo Fred Bottrel me disse: "o nome do grupo já me causa arrepios." E eu respondi: "Ah, mas é que não tem mais nada pra fazer. Nada a 5 reais, quero dizer. Lá vou eu." Pensei em desistir ainda mais algumas vezes, mas não sei o que me fez sair de casa em pleno sábado às 20h a pé, pegar o ônibus mais favela que passa no meu bairro e ir parar lá no Horto!

Eu sei elogiar. Mas quando é pra escamar, eu sei mais ainda. Gente. Fala sério. Nunca assistam nada desse grupo com nome bastante auto-explicativo. A história, se não fosse uma história muito novelinha das 6 seria melhor. A história, eu disse, não o texto. Porque o texto é todo em verso, todo rimado. Saco. Tem algumas mensagens bonitas, mas jogadas fora nas vozes murchas, completamente ritmadas e sem entonação dos atores. Os atores. Feios. Sem um pingo de en
ergia. Parecem estar mortos em cena, e não falo apenas pela maquiagem cadavérica e pelas roupas sem cor que usam. Isso poderia até ser proposital, mas deu preguiça de ver. Tudo marrom e preto, coisa mais apática, mais abatida, astral lá embaixo. Trilha sonora muito igualzinha, música de realejo o tempo todo, que junto com os versos ritmados, vira uma canção de ninar. Não foi à toa que eu ouvi vários, nem um nem dois, eu disse VÁRIOS bocejos na platéia, inclusive os meus. Eu fiquei me mexendo na cadeira (que já é desconfortável por si própria) o tempo todo e rezando pra acabar. Foi a hora mais longa da minha vida.

Agora: o que mais me incomodou no espetáculo inteiro. (Nossa, tem mais? Tem.) Que ideia é essa de fazer um teatro de bonecos que não é de bonecos? Vou tentar explicar. Imagina a cabeça do ator. A cabeça do ator é a mesma cabeça do boneco, completamente desproporcional, porque o boneco é uma tripinha de pano colada na frente do corpo do ator, que acompanha os braços e as pernas. A mão do ator é a mão do boneco (desproporcional de novo), e os pés do boneco estão grudados nos joelhos do ator. Então o ator tem que ter uma movimentação muito especial pra dar vida àquela tripinha colada na frente dele, e infelizmente ninguém soube fazer isso com perfeição. Além do fato de que a desproporcionalidade das cabeças e dos corpinhos não fazia uma imagem completa, não dava a ilusão para o espectador. Ou eu prestava atenção só nas cabeças, ou só nos corpinhos. Nossa, muito ruim, nem tenho co
mo explicar.

Saí de lá correndo. Correndo literalmente, porque vi o meu ônibus passando na avenida ao lado e não podia perder, já estava tarde para uma moçoila como eu ficar andando por aí de noite e sozinha. E dentro do ônibus eu vim pensando... É. Nós, atores, temos muita, mas muita responsabilidade. Tiramos as pessoas das casas delas, sabe-se lá em que situações. Fazemos as pessoas se deslocarem, tirarem dinheiro da carteira, pagar um ingresso, só pra nos ver. Nós temos O DEVER, A OBRIGAÇÃO de fazer um traba
lho bem feito para recompensar pelo menos um pouco do esforço que o público teve para chegar até ali. Nós temos que fazer aquelas pessoas se distraírem, esquecerem o mundo que está lá fora e se entregarem para nós, pelo menos enquanto estiverem ali. É o nosso ofício, nosso trabalho e temos que fazer bem feito como um médico precisa realizar uma operação com sucesso. Termino dizendo uma frase de Stanislavski que está pregada na parede do meu quarto e olho sempre pra ela e me inspiro: "Não há nada pior para o teatro do que o homem de teatro mal preparado."

E eu, que esperava alguma coisa do sábado à noite, me fudi.

PS: Até tentei umas fotos da peça pra colocar aqui, mas ah. Pra quê?
PS2: E num tô afim de colocar a sinopse também não.


Ass: Bella Marcatti.

4 comentários:

Fernanda disse...

hahahaha.. mas que coisa mais estranha esse atores 'bonecos' .. fiquei tentando imaginar o resultado na minha cabeça, mas é estranho!

e sim, as vezes por causa de coisas estranhas como essas, pessoas que não estão acostumadas a ir ao teatro desistem de vez, e acha que tudo é do mesmo 'nível'..

Beeeeeeeeijos

Bella Marcatti disse...

E ainda corre esse risco. Por isso a nossa responsabilidade é ainda maior, podemos fazer uma pessoa nunca mais voltar ao teatro na vida! E isso é gravíssimo!

Beijo!

Luíla disse...

Nooooooooossa, q sábado à noite BAGACEEEEEIROOOO!!! hahahahaha

Bella Marcatti disse...

Tô na bagaça, colega.