Curte aí...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Ser ou não ser?


Uma borboleta. O Dr. Acupunturista tem conversado muito comigo nas últimas semanas sobre o motivo dessas dores de cabeça. Que nem a acupuntura está dando jeito. Por enquanto. O que ele fala eu concordo, concordo mesmo, mas... Tem alguma coisa esquisita. Estou tentando descobrir o que é.

Ele diz que essa minha dor vem de uma grande sede de autonomia. Eu tenho muita vontade de ter as minhas coisas, e ser dona da minha vida sem dar satisfações pra ninguém. Mas infelizmente, nos dias de hoje, pra se conseguir essas coisas, é preciso ter independência financeira, isto é, pagar suas próprias contas, com o seu próprio dinheiro. E pra ter o seu próprio dinheiro, você deve trabalhar, de preferência em alguma coisa fixa, que não te dê dúvidas de que todo fim de mês lá está o seu salariozinho pra pagar todas as suas despesas. Certo? Certo.

Só que o teatro... O teatro é alguma fixa que não te deixa dúvidas de que você vai receber??? Não né. Aliás... Quer profissão mais incerta? Eu amo teatro, amo de paixão, quero fazer isso para o resto da minha vida! Mas, enquanto eu não tiver estabilizada em alguma coisa fixa na área teatral, eu preciso ter outra coisa pra me garantir. Pra garantir a minha tão querida autonomia. Não, eu não estou trocando o teatro por outra coisa, eu só vou me segurar enquanto o teatro não me segura.

Pra isso... Vou fazer faculdade de outra coisa. Que outra coisa eu ainda não descobri, mas eu acho que tem fundamento isso, não tem? O Dr. Acupunturista disse que eu não sou dessas que tem jeito de sair pelo mundo voando, vivendo de artesanato... Ele disse que eu quero voar, sim, mas com um pezinho lá no chão, tendo um lugar pra onde voltar, um teto pra morar, uma cama pra dormir... E eu concordo. Eu tenho tendências fugitivas, mas tudo com muita segurança. A insegurança e a instabilidade me deixam com dor de cabeça.

Mas olha essa fala dele, essa me doeu: "Não dá pra ficar voando por aí que nem uma borboleta! Pessoas sem pé no chão não são confiáveis, não conseguem muita coisa, pois estão sempre levitando. Você pode sonhar sim, deve fazer isso, pois é jovem ainda, você deve voar sim. Mas crie sua raizinha em algum lugar pra quando você quiser voltar. Porque pelo que eu conheço de você, você vai querer voltar. Não foi criada pra levitar completamente."

Saí pensando, pensando, pensando... E concluí, por ora. Eu quero sim ser uma borboleta, livre, mas quero ter o casulo firme e forte no mesmo galho. Pra voltar. Por via das dúvidas.

POR VIA DE MUITAS, MAS MUITAS DÚVIDAS MESMO.

3 comentários:

Bu disse...

Eu posso ficar em cima dessa árvore "enchendo sua paciência" de amor, pode?

Nandinha disse...

Nossa Bebella, eu também fiz Acupuntura durante muuuito tempo para tentar resolver problemas com dores de cabeça!!! Tive que parar, por causa do $$..
Tenho feito exames e mais exames e nunca que os médicos chegam a uma conclusão do motivo das dores.. mas enfim!!

Sobre teatro, dinheiro e afins.. é seguir o que o coração manda!! (fácil falar né?? hahaha)

bjus

Fernanda

Bella Marcatti disse...

Ainda bem que o meu plano de saúde cobre sessões de Acupuntura, senão não estaria fazendo também! Com quanto tempo de tratamento vc sentiu melhora?

Eu tenho certeza que as minhas dores são psicológicas, mas no momento ainda não consegui descobrir como fazer para que ela não doa. Algumas vezes eu consigo controlar, outras não, eu nem sei direito o pq dela estar doendo.

É um saco né. Um sacoooo!!!

Ser adulto é muito chato, acho que tenho síndrome de Peter Pan! Né amor????

Amor, vc pode ficar em cima da árvore, embaixo, do lado, onde vc quiser. Vc ficando, tá bom. Te amo.