Curte aí...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Você não tem nada a ver com isso.

Me falta a inspiração, mas estou com aquela sensação estranha de sufocamento no peito e na garganta, como se algo quisesse explodir e se libertar. Se você tiver paciência, leia essa bobagem até o final, se não tiver, feche este site imediatamente. E eu nem sei porque estou te dando instruções, já que eu não devo porcaria nenhuma pra ninguém e cada um faz da sua vida o que quiser. Você lê o que quiser e eu escrevo o que quiser. E ficamos assim.

Um mau humor sem noção tomou conta do meu dia. Pra começar, sonhei que a minha casa estava explodindo. (Analisando eu mesma de acordo com a minha ignorância, associo casa a mim mesma, e explodir a explodir. Logo, estou com vontade de explodir, como disse na primeira frase desse post, e só posso realizar essa obra através do meu inconsciente.) Antes da minha casa explodir, o meu pai tentava me proteger, (a super proteção dele aparece sempre), e minha mãe era quem segurava a coisinha que estourava e fazia tudo pegar fogo (ela tem o poder e a sensibilidade de me irritar o dia todo, funcionando sim como uma coisinha capaz de me fazer estourar e pegar fogo). Acordei assustada e meio frustrada. Ontem, antes de dormir, pensei em borboletas azuis e tudo o que elas representam pra mim. Queria ter sonhado com uma borboleta. E sonhei só coisa ruim.

Tinha coisas pra fazer, não fiz nada. Uma preguiça sem tamanho, passei o dia enfiada debaixo das cobertas. Olhava pra TV e dava um cochilinho. Meu relacionamento mais simpático do dia foi com a Kelly, a moça que ligou pra fazer uma pesquisa de num sei que lá do jornal sei lá onde. Também, foi a única pessoa que me ligou hoje.

É que obviamente, como eu não estou nem um pouco receptiva para as coisas, para as pessoas, para a vida, não aconteceu nada de interessante ou de bom no meu dia. E ainda vem a culpa de perder mais um dia para essa preguiça e pra todas essas coisas ruins que estão me rodeando e querendo me tomar. E obviamente, se me fecho para o mundo, o mundo se fecha pra mim. E eu me sinto assim, como odeio me sentir, angustiada, com um osso de galinha atravessado na garganta e uma queimação no peito. E leio, e ouço conselhos, e penso, e tento, e tento, e não tento.

Mas tô insegura ainda...

O que você quer de mim?


Ass: Sara Maionese.

5 comentários:

Carlos Cazen disse...

A tristeza, o desânimo, o cansaço, a preguiça são tão atraentes porque eles criam a desculpa que precisamos para não fazer nada. E aí sim, cada vez mais nos sentimos atraídos por eles. E isso acontece com todo mundo. E não vai deixar de acontecer. O remédio? Deixar aquela pontinha do seu sonho adormecido, empoeirado, respirar e transformar seu dia. Tudo parte de dentro pra fora, aprendi isso e cada vez mais vejo como é claro e certo. Alimente-se e veja q pode alimentar multidões. O que querem de você? Eu me perguntaria: O que eu quero de mim? O que eu quero pra mim? Ninguém doa um banquete se estiver com fome. Alimente-se do seu querer mais profundo.

Sei q tudo vai dar certo, foi só um dia, um sonho. Amanhã a borboleta voltará.

bjos

Vilarino disse...

eu sempre partilho de suas angustias, vc sempre escreve o que eu tb sinto...
é uma droga, mas é bom se encontrar no texto dos outros, se sente menos sozinho

Nandinha disse...

Putz Bella.. tô com a mesma sensação de querer explodir.. queria sumir por um tempo, poder simplesmente apagar o meu corpo por alguns dias..
tá tudo estranho, tudo blah!

desculpa não ter palavras para te animar =/

beijos

Bella Marcatti disse...

@Caique: Compreendo tudo o que vc disse. É que tem dias que é mais forte do que a gente. É mais forte do que simplesmente respirar e transformar tudo. É não saber o que espero de mim, o que quero de mim. É não ter do que se alimentar. Comeram a minha borboleta.

@Albane, @Fernanda: Não acho bom partilhar essa angústia. O ideal seria que ninguém sentisse isso. Mas obrigada por dividirem comigo, e lerem sempre.

Beijos!

JORGE SCARASATI disse...

POR TRÁS DA ANGÚSTIA, EXISTE O POTENCIAL DE VENCER O ORGULHO E DESPERTA A HUMILDADE, E JUNTO COM ELA VEM A RECEPTIVIDADE PARA O APRENDIZADO, NO FUNDO QUALQUER SITUAÇÃO, EMOÇÃO OU CONDIÇÃO POSSUEM ENSINAMENTOS MARAVILHOSOS!!!